Pesquisa robusta

Pesquisa e desenvolvimento sempre fortalecem a Kanthal em nossas três áreas principais: sistemas de aquecimento, materiais de aquecimento e fios médicos finos. Ao fomentar a inovação, pretendemos contribuir para um mundo mais saudável.

"Os materiais contam uma história"

Em conversas diárias com colegas de manufatura, Petter Lindblom combina sua experiência em pesquisa e engenharia de processo para melhorar a produção dos elementos de aquecimento cerâmicos da Kanthal.

Após dez anos na Kanthal, Petter assumiu a tarefa de melhorar o rendimento do Kanthal Super. Em outras palavras, minimizar a perda de materiais durante o processo de produção. "É claro que queremos que os materiais que entram na produção saiam com sucesso como produtos acabados prontos para serem entregues aos nossos clientes", explica ele.

Na unidade de produção da Kanthal, localizada em Hallstahammar, no centro da Suécia, Petter passou o último ano e meio pesquisando e conversando diariamente com os operadores que fabricam os produtos. "Eles compartilharão uma observação e, como entendo como os materiais se comportam, posso descobrir o mecanismo por trás disso", diz ele. "Meus primeiros dez anos na Kanthal me ensinaram a linguagem dos materiais, que vão contar a história do que aconteceu. Você só precisa fazer as perguntas certas."

"Trabalhar como engenheiro de pesquisa durante meus primeiros dez anos na Kanthal foi essencial para aprender a linguagem dos materiais", diz ele.

Enquanto estudava na Universidade de Uppsala, na Suécia, Petter fez sua pesquisa de tese de mestrado na Kanthal e ingressou na empresa após a formatura em 2010. "Há uma cultura aqui de incentivar ideias. Contanto que você possa explicar o valor do projeto, a Kanthal investirá na pesquisa necessária", diz ele.

"Como engenheiro de pesquisa, estou envolvido em todas as etapas do processo, como pesagem de materiais, medição, mistura, extrusão, sinterização e avaliação de suas propriedades, o que ainda é uma grande parte do motivo pelo qual gosto do meu trabalho", diz Petter. "Agora uso a experiência adquirida no laboratório na planta de produção como engenheiro de processo."

Embora ele nunca tenha precisado diminuir sua ambição, ele teve que modificar ligeiramente sua definição de sucesso. "É muito fácil para um engenheiro de pesquisa querer 100% de perfeição, mas as pessoas na produção adicionam a perspectiva de custo e tempo", diz ele. "Às vezes, você tem que fazer concessões."

"Meu trabalho é garantir processos estáveis e previsíveis que maximizem a qualidade e o rendimento, mas não posso usar uma varinha mágica para não ter perdas. Não é assim que funciona", resume Petter.

Petter usa a analogia de fazer pipoca. "Todo mundo quer que todos os milhos estourem, mas todos nós sabemos o que acontece: Você vai acabar com pipoca queimada", diz ele. "É melhor parar a tempo de garantir que os que estourem tenham um sabor incrível."

"Você nunca conseguirá fazer todos os grãos estourarem para virar pipoca, e isso também vale para a produção. No entanto, é o que eu busco!"

Mais histórias

Sobre inovação e engenharia

Wire localization of breast cancers can save lives
There’s heat, and then there’s “superheat”
O amante da matemática encontrou um lugar para fazer o bem
"Aprender com seus fracassos é o único caminho a seguir"
"Espírito inovador" por trás do avanço da liga
"Inovação é mais do que abreviaturas extravagantes"
De chapinhas à urgência de tecnologia sustentável
Aumentando o calor em uma impressora de metal 3D
Impressão 3D de alta gramatura